Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para busca 3 Ir para rodapé 4 Acessibilidade 5 Alto contraste 6

---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?


Estiagem: Novo Horizonte decreta situação de emergência

Publicado em 17/11/2020 às 16:41 - Atualizado em 17/11/2020 às 16:46

Para minimizar os impactos da estiagem, município prioriza recuperação de fontes e investimentos em rede adutora de poços artesianos
Créditos: Ascom/Novo Horizonte Baixar Imagem

Devido à estiagem, a administração municipal de Novo Horizonte decretou, na última semana, situação de emergência. A decisão leva em conta a declaração meteorológica da Epagri/Ciram e o parecer da Coordenadoria Municipal de Proteção e de Defesa Civil.

O documento destaca o baixo volume de chuva registrado nos meses de fevereiro, março, abril, julho, agosto, setembro e outubro. De acordo com a declaração meteorológica, assinada pelo meteorologista da Epagri/Ciram, Marcelo Mastins da Silva, setembro, com 23,4 mm, foi o mês que menos choveu no município. 

O decreto, que aguarda homologação junto ao escritório da Defesa Civil de Xanxerê – responsável pela região –, permite, por exemplo, que o município busque recursos e faça investimentos específicos para sanar o problema. Aquisição de reservatórios, aberturas de fontes e investimentos em poços artesianos são alguns dos exemplos.

Apesar de nos últimos dias ter ocorrido chuvas, o prefeito, Vanderlei Sanagiotto, explica que as mesmas não foram uniformes e não suficientes para reestabelecer o abastecimento de água nas propriedades. “Foram ótimas essas chuvas, especialmente para a vegetação e as lavouras, mas é preciso ainda mais para ‘mexer’ as águas”, observa.

Segundo o prefeito, o decreto auxilia a administração em ações emergenciais. Contudo, ele lembra que já há um trabalho em andamento que faz parte do planejamento e das ações do governo. “Estamos trabalhando forte na recuperação de fontes e estamos investindo na ampliação da rede adutora dos poços artesianos nas comunidades da Linha Plataneia e Santo Agostinho”. Segundo ele, é preciso atuar com uma frente de trabalho preventiva. “A manutenção e preservação das fontes e a construção de cisternas vai fazer a diferença em médio e longo prazo”, garante.

Atendimento

Conforme a Defesa Civil municipal, no período mais crítico foram atendidas 45 propriedades com a distribuição de aproximadamente 300 mil litros de água. Mesmo com as últimas chuvas, o município mantém um caminhão e um trator atendendo as demandas de transporte de água.