Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para busca 3 Ir para rodapé 4 Acessibilidade 5 Alto contraste 6

---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?


Departamento de epidemiologia de Novo Horizonte chama a atenção para ações de combate a dengue

Publicado em 26/11/2020 às 16:26 - Atualizado em 26/11/2020 às 16:26

Com quatro pontos estratégicos, deparamento monitora os focos com nove armadilhas
Créditos: Ascom/Novo Horizonte Baixar Imagem

Alinhado a campanha de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya, lançada nesta semana pelo Ministério da Saúde, o departamento de epidemiologia de Novo Horizonte chama a atenção dos munícipes para alguns cuidados e manejos em suas residências.

De acordo com o agente de combate a endemias do município, Gabriel Valentim Pereira, o departamento de epidemiologia está trabalhando e pode ser acionado sempre que houver dúvidas. “Sempre que há dúvidas ou necessidade de orientação, a população pode acionar o departamento”, disse emendando que há um trabalho em conjunto com todas as Secretarias e departamentos da administração para que as ações sejam efetivas.

No caso do monitoramento do mosquito, o agente conta que o trabalho é feito através de armadilhas. Hoje são nove ativas, mas há previsão para a instalação de novas. “Quando a gente encontra larvas numa dessas armadilhas, todas as residências no entorno são vistoriadas”, explica.

Hoje, segundo Pereira, o principal ponto a ser observado nas residências são as cisternas, caixas de água e lonas. “Todas as larvas encontradas no município estavam em cisternas”, observa e orienta para que os munícipes usem a telinha e vedem bem os reservatórios. Além disso, o agente chama a atenção para os tradicionais itens como, vasos de flor, lixo, pneus e garrafas. “A dica é que a comunidade aproveite o final do ano para organizar o quintal e fazer uma varredura nesses possíveis locais e itens que acumulam água”, sugere.

Atenção

Sem desconsiderar o momento delicado imposto pela pandemia do Novo Coronavírus (Covid-19), Pereira pede para que a população faça a sua parte e auxilie no combate ao mosquito. “A gente acaba dando a atenção necessária para a Covid-19, mas, as vezes, esquece da dengue”, disse emendando que 2020 é o pior ano para a questão dengue em Santa Catarina. Lembrando que há municípios vizinhos com dezenas de casos confirmados de dengue, ele defende que Novo Horizonte precisa reduzir ou eliminar os focos do mosquito transmissor. “Foco [ocorrência da larva ou mosquito transmissor] sempre existiu, mas felizmente não existe a doença. Por isso é importante mantermos esse trabalho e atenção”.

Sintomas

Lembrando que alguns sintomas da dengue são comuns ou podem se confundir com os da Covid-19, Pereira orienta os munícipes a sempre procurar o atendimento da unidade de saúde ou médico de confiança. Entre os sintomas que podem aparecer tanto em casos de dengue quanto Covid, destaque para febre, dor de cabeça, cansaço e dores no corpo. Na dúvida, os munícipes podem buscar orientação junto as Secretarias e departamentos ou pelas redes sociais do município.